17 de dezembro de 2014 | 22:40h | Boa noite     


HOME - ENTREVISTA



Geraldo Brown

Ingresso na liga internacional pode contribuir para o reconhecimento e desenvolvimento da Odontologia Homeopática

Criada em 1925, a Liga Médica Homeopática Internacional (LMHI) congrega cerca de 10 mil membros de 75 países com a missão de unir instituições homeopáticas com o objetivo de desenvolver a Homeopatia política, científica e educacional. Para saber mais sobre a LMHI, o Ecomedicina entrevistou Geraldo Brown, odontólogo representante do Brasil na liga. Nesta entrevista ele fala sobre o trabalho desenvolvido pela Secretaria de Odontologia da LMHI. "A Homeopatia aplicada à Odontologia é uma novidade não apenas para a comunidade científica, bem como para a sociedade em geral. Ela se encontra evidentemente num momento de consolidação, e para isso é importante que todos os profissionais envolvidos estejam unidos. Nesse sentido, a nossa inserção na Liga é muito bem-vinda. E a presença de um brasileiro como secretário para Odontologia é bastante salutar para a união do nosso grupo de profissionais cirurgiões-dentistas homeopatas, que é considerado o melhor do mundo em produção científica", diz Brown.


Ecomedicina: Como para algumas pessoas a associação entre Odontologia e Homeopatia não é muito clara, explique melhor como estas duas áreas do conhecimento interagem.

Geraldo Brown: A Homeopatia tem como um dos seus princípios fundamentais a abordagem do indivíduo como um todo, onde a totalidade de sintomas é levada em consideração para se buscar a cura do indivíduo. Ora, acredito que ninguém tenha dúvida de que a cavidade oral faça parte desse todo, e de uma forma muito importante. O adágio "a saúde começa pela boca" é uma verdade incontestável. A boca pode ser considerada uma porta de entrada por excelência. É por ela que se dá início ao sofisticado processo de digestão, nutrição e manutenção da vida. É por ela que se tem o primeiro contato do indivíduo com o mundo, através da amamentação, contato esse que estabelece importantes laços de afetividade que determinam padrões psicológicos e comportamentais para o resto da vida. É através dela que se faz a comunicação, a inter-relação social e onde a sexualidade se manifesta de uma forma muito intensa. Hahnemann, em seu tempo, já sabia disso tudo, e sempre levou os sintomas bucais em consideração na busca da cura do indivíduo.

No mundo moderno, o profissional ao qual cabe cuidar dessa importantíssima parte do todo é o cirurgião-dentista. Embora possa parecer um pouco tardio, mas somente há bem pouco tempo, em nível mundial, a Odontologia contemporânea passou a se apropriar da filosofia e técnica da ciência homeopática e a agregou ao seu arsenal terapêutico. Hoje em dia, a Homeopatia pode ser uma importante ferramenta na prevenção, controle e tratamento das principais condições patológicas da cavidade oral, bem como pode dar um extraordinário suporte no dia a dia do cirurgião dentista moderno, tornando-se uma interessante alternativa ao uso abusivo de drogas com devastadores efeitos colaterais usados rotineiramente pela clínica odontológica tradicional.


Ecomedicina: Você é o odontólogo representante do Brasil na Liga Médica Homeopática Internacional (LMHI). Fale-nos um pouco sobre a LMHI.

Geraldo Brown: A LMHI é uma instituição criada em 1925, com atualmente cerca de 10 mil membros, na sua maioria membros institucionais. Ela congrega representantes de 75 países, isto é, praticamente todas as nações onde a Homeopatia é exercida. Tem como missão principal servir de instrumento de união das instituições homeopáticas com o intuito de desenvolver a Homeopatia política, científica e educacional em todo o planeta, criando um vínculo entre todos os profissionais legalmente habilitados, bem como entre as instituições e pessoas que de alguma forma colaborem com o seu desenvolvimento.


Ecomedicina: Qual o trabalho que a Liga vem realizando no mundo e no Brasil? Qual o papel e a importância dela?

Geraldo Brown: A Liga tem como estratégia de trabalho focar o desenvolvimento científico e educacional da Homeopatia como instrumento para a sua consolidação política nos países. Sabemos que a realidade da Homeopatia em termos de reconhecimento oficial é peculiar em cada lugar. Existem países, como o Brasil, onde ela é reconhecida como especialidade médica e é aceita no sistema de saúde, embora de forma tímida. Na Índia e em Cuba, por exemplo, ela é a terapia de primeira escolha, inclusive na saúde pública. Entretanto, há lugares onde o profissional homeopata sequer tem autorização para exercê-la, trabalhando praticamente na clandestinidade. Daí a importância do trabalho político da Liga, que, com o uso de seu peso político e de sua representatividade, e respaldada pelo trabalho das Secretarias de Pesquisa e Educação, tem procurado criar condições favoráveis para o reconhecimento oficial da Homeopatia em muitos lugares, bem como tem conseguido defender os seus interesses de ataques políticos e econômicos, que visavam a sua desestabilização e sua inviabilização nos sistemas de saúde, como foram os casos recentes do Reino Unido, Bélgica e Suíça. A Secretaria de Pesquisa da Liga tem desenvolvido revisões sistemáticas de literatura conjuntamente com a OMS, comprovando a validade científica do uso da Homeopatia em várias condições patológicas. Esse embasamento científico é utilizado como instrumento de defesa e argumentação nos embates políticos. Já a Secretaria de Educação está desenvolvendo conjuntamente com o Comitê Europeu de Homeopatia, um Núcleo Curricular modelo a ser adotado pelas escolas homeopáticas.


Ecomedicina: A Odontologia sempre fez parte da Liga? Caso não, qual a importância de ter passado a fazer parte?

Geraldo Brown: Não. A Secretaria de Odontologia da Liga foi criada há cerca de 12 anos por uma colega cirurgiã-dentista brasileira, Dra. Glória Feingelnstein, a quem eu tenho a honra de suceder. A partir do seu esforço, as duas principais instâncias da Liga, o Comitê Executivo e o Conselho Internacional, entenderam a necessidade de reconhecer o papel do cirurgião-dentista homeopata no processo de restabelecimento da saúde do indivíduo e das comunidades. Podemos considerar a criação dessa secretaria uma grande vitória e um passo importante para o reconhecimento desse profissional pelas corporações odontológicas em diversas partes do mundo, pelos seus Conselhos e pela academia no mundo.


Ecomedicina: Qual a importância, não só de um odontólogo fazer parte da LMHI, mas de um odontólogo brasileiro participar?

Geraldo Brown: A nossa participação na Liga é fundamental, na medida em que estamos trabalhando em nível internacional e contando com o respaldo da mais prestigiosa instituição homeopática do planeta. A Homeopatia aplicada à Odontologia é uma novidade não apenas para a comunidade científica, bem como para a sociedade em geral, mesmo nos países onde ela está mais desenvolvida, como é o caso do Brasil. Ela se encontra evidentemente num momento de consolidação, e para isso é importante que todos os profissionais envolvidos estejam unidos. Nesse sentido a nossa inserção na Liga é muito bem-vinda. E a presença de um brasileiro como secretário para Odontologia é bastante salutar para a união do nosso grupo de profissionais cirurgiões-dentistas homeopatas que é considerado o melhor do mundo em produção científica.


Ecomedicina: Tanto de uma forma geral quanto especificamente em relação à Odontologia, quais são os trabalhos que já estão sendo realizados e os que devem vir a ser realizados? Quais os planos e metas?

Geraldo Brown: Conforme já citei anteriormente, a atuação da Liga nos campos da política, da pesquisa e da educação são de extrema importância no cenário homeopático internacional. Embora o Brasil tenha pessoas ativas trabalhando na Liga há muito tempo, a nossa participação institucional é fraquíssima. Atualmente o Brasil não tem nenhuma associação afiliada, o que é lamentável, em função do número de profissionais em atividade no país e em função das condições políticas favoráveis que temos aqui. Isso é muito ruim para o profissional brasileiro, de uma maneira geral, porque nós temos potencial para dar uma imensa contribuição para o avanço da Homeopatia no mundo, muito mais do que estamos fazendo atualmente. Trazer a Liga para as associações brasileiras é uma luta que estamos começando a travar.

Especificamente com relação à Odontologia, estamos desenvolvendo alguns projetos, que, em breve estarão concluídos. Primeiramente num trabalho conjunto com a Secretaria Geral da Liga, numa pesquisa, vamos mapear a Homeopatia em Odontologia no mundo, para a criação de um banco de dados. O segundo ponto é a criação de um espaço científico ligado ao site da Liga para servir de referência para papers de boa qualidade na nossa área. Nós ainda não temos essa referência hoje. Num segundo passo criaremos um chat para discussão científica entre cirurgiões-dentistas homeopatas que também será ligado ao site da Liga. São espaços que estamos precisando de fato para a troca de ideias e a busca de conhecimentos.

Entretanto, nosso maior compromisso é com a busca da união do nosso grupo de profissionais no Brasil para que consigamos o reconhecimento da Homeopatia como especialidade odontológica pelo Conselho Regional de Odontologia. Um primeiro passo já foi dado, em 2008, com o reconhecimento da Homeopatia como prática odontológica e a sua normatização. Mas o status de especialidade é essencial para que a Homeopatia em Odontologia seja inserida na PNPIC do Ministério da Saúde e para que possamos colaborar efetivamente para a saúde de milhões de brasileiros. Essa é a nossa grande meta.




indique aos amigos
compartilhe



COMENTÁRIOS (2)

SIMONE às 18:16h do dia 29/6/2013
Excelente matéria. Como usuário do SUS e da homeopatia, sempre tive a curiosidade porque a odontologia fica fora até mesmo dos planos de saúde, e no meu caso, é justamente a dentição (tratamento, extrações...)que me traz muitos conflitos emocionais. Obrigada pelas informações. Inclusive no posto que fiz consulta faltou a medicação homeopata, tive que compra!


ESTHER às 09:20h do dia 5/7/2012
EU USEI QUANDO CRIANÇA, MINHA AVÓ ESTHER QUE NOS MEDICAVA, ME LEMBRO QUANDO TIVE COQUELUCHE EU E OS PRIMOS FOMOS TODOS CURADOS COM ESSE TIPO DE MEDICAMENTO, UMAS BOLINHAS BRANQUINHOS. ATE A POUCO TEMPO USEI PARA ALERGIA MINHA E DE MEUS FILHOS....









HOME - ENTREVISTA

Esta obra é licenciada sob uma licença Rio de Janeiro 2009