23 de outubro de 2014 | 10:22h | Bom dia     


HOME - ENTREVISTA



Renan Marino

Paracetamol e dengue: quando o remédio se transforma em risco

O uso do paracetamol é recomendado pelo Ministério de Saúde no tratamento dos casos de dengue. Mas será que o que parece consenso está, de fato, certo? Segundo Renan Marino, professor assistente do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto-FAMERP e professor do Instituto Homeopático François Lamasson, de Ribeirão Preto, a resposta é não. Em entrevista ao Ecomedicina ele explica os riscos do uso do paracetamol em pacientes com dengue e indica qual deve ser, na opinião dele, o tratamento da doença. Confira!

Ecomedicina: O uso do paracetamol é recomendado pelo Ministério de Saúde no tratamento da dengue. Por que esta recomendação?

Renan Marino: O paracetamol foi a única droga recomendada pelo Ministério da Saúde para tratamento dos sintomas da dengue até 2001, quando, em razão do aumento de graves lesões hepáticas em casos de dengue tratados com paracetamol, decidiu-se por acrescentar também a dipirona como opção. Sempre causou muita estranheza a indicação hegemônica por tantos anos do paracetamol na dengue, uma vez que se trata de conduta absolutamente aleatória, sem nenhuma base científica, até mesmo pelo fato de não existir sequer um único estudo no mundo mostrando a viabilidade e segurança desta orientação.

Ecomedicina: Em sua opinião, o medicamento é, de fato, indicado no tratamento da doença? Por quê?

Renan Marino: O paracetamol não pode ser dado a pacientes com dengue por uma razão muito simples: contraria a lógica mais elementar do raciocínio terapêutico administrar uma droga dotada da mais elevada hepatotoxicidade, responsável "número um" e, portanto, maior causa de transplantes de fígado nos USA e na Grã-Bretanha há vários anos, em uma patologia que tem como agente etiológico um flavivírus, cujo hepatotropismo causa importante inflamação hepática em 100% dos casos, como verificamos na ação de todos os quatro sorotipos virais da dengue. Aliás, outros flavivírus também são conhecidos por atacar o fígado, como é o caso do vírus da hepatite C e da febre amarela. Isto nos leva a esclarecer que a dengue é essencialmente uma hepatite viral, o que explica perfeitamente sua sintomatologia, bem como o curso habitual da doença e principalmente suas complicações.

Ecomedicina: Que efeitos o paracetamol pode causar em um organismo saudável e em uma pessoa com dengue? Quais os riscos?

Renan Marino: A diferença do efeito do paracetamol em um indivíduo "normal" ou em um paciente com dengue se deve ao seguinte fato: em pacientes sem lesão hepática a hepatoxicidade do paracetamol é dose-dependente, isto é, acima de 4g diárias, quando é excedida a capacidade de metabolização da droga via sulfatação, glicuronização e sistema do citocromo p-450; já no quadro de dengue a hepatoxicidade não é dose-dependente, uma vez que a depleção da glutationa, como é próprio e característico dos quadros virais, faz com que esta substância produzida em condições normais pelo fígado para tamponar os metabólitos reativos do paracetamol, uma vez inibida e ausente, deixe livre o para-amino benzoquinona-imina, resultante desta cadeia de reações, para fazer uma forte e irreversível ligação covalente com as paredes do hepatócito resultando em extensas áreas de necrose hepática.

Ecomedicina: Estudos indicam que o paracetamol, em grandes quantidades, pode afetar o fígado. Médicos dizem, também, que entre as possíveis complicações da dengue estão alterações hepáticas. Diante disso, a indicação do medicamento não é, portanto, incoerente?

Renan Marino: Do exposto resulta que, na verdade, os quadros atribuídos à "dengue hemorrágica" correspondem à iatrogenia desencadeada pelo uso do paracetamol nestas condições descritas, podendo ser perfeitamente controlados e evitados.

Ecomedicina: O emprego deste fármaco tem relação com a elevação da mortalidade em consequência da doença? Por quê?

Renan Marino: Não procede, diante das observações clínicas que temos acompanhado ao longo dos últimos dez anos, a famigerada teoria sequencial de Halstead, segundo a qual os casos graves e hemorrágicos ocorreriam em indivíduos com histórico anterior de dengue por um dos quatro sorotipos que, ao contrair a doença novamente, teriam risco elevado para complicações em decorrência da liberação de aminas vasoativas pelos monócitos previamente infectados por outro sorotipo, cujas reações em cascata levariam a graves alterações circulatórias e da coagulação. O que faz a diferença na dengue é tão-somente tomar ou não tomar paracetamol. Nada mais. Como orientação geral: ingerir grandes quantidades de líquidos para garantir a hidratação, repouso, alimentação leve e apenas dipirona para ajudar no controle da febre e dores.

Ecomedicina: Qual, em sua opinião, deveria ser a conduta adotada com pacientes com dengue? Como pode ser controlada a febre e amenizada as dores decorrentes da infecção?

Renan Marino: No seguimento da doença recomendamos hemograma completo, para monitorar os níveis de neutrófilos e contagem de plaquetas, bem como de ALT (TGP) e AST (TGO). O paciente somente se restabelece para voltar às suas atividades normais quando as transaminases caem abaixo de 100 UI, o que na minha opinião deve ser o critério de alta para o doente.

Clique aqui para ver o Ofício de Representação ao Ministério Público Federal




indique aos amigos
compartilhe



COMENTÁRIOS (39)

LUCIA.YUIKO@SDIWEB.COM.BR às 14:46h do dia 16/9/2014
.


VITOR às 23:50h do dia 15/5/2014
Dra. Paula,

Eu que sinto vergolha alheia por você.
Quando você descobrir a verdade certamente ficará com vergonha de ofender pessoas que nem ao menos conhece a formação.

Sem mais.


VITOR às 23:48h do dia 15/5/2014
também recomendo a leitura desse texto:
http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2011/04/vida_saudavel/noticias/824023-os-mitos-e-verdades-sobre-a-dengue.html

Já que o problema está comigo, né?

Acho interessante ressaltar que eu fui aluno de iniciação científica do Centro de Virologia da FMRP-USP, e quando a polêmica surgiu, não sai expressando a minha opinião. Eu fui perguntar ao CHEFE o que ele achava. Pode conferir no site que eu linkei abaixo.


VITOR às 23:34h do dia 15/5/2014
Recomendo a leitura desse site: http://verdadeparacetamol.blogspot.com.br/

Esse Dr. Renan diz que inventou uma remédio novo para Dengue. Por isso ele também inventou que Paracetamol faz mal (nas doses corretas).

Leia o site que eu indiquei e você poderá compreender corretamente o que acontece.


DRA PAULA às 17:41h do dia 3/9/2013
Pedro: Poupe as pessoas de lerem seu comentário cretino! Fora que cassada é com SS e não com Ç! Vá estudar antes de debochar das outras pessoas.
Elem: Se você acha que seu médico é melhor que os farmacêuticos e sabe mais, tenho pena de você! Parabéns, você é mais uma pessoa manipulada pelas grandes indústrias farmacêuticas. Recomendo que você também vá estudar mais, para deixar de ser ignorante e grossa!




DRA PAULA às 17:41h do dia 3/9/2013
As pessoas devem entender que o uso do paracetamol na dengue é arriscado, mas não quer dizer que vá causar a morte instantânea do paciente. Pode ocasionar lesões que, com o tempo, podem ser agravadas e gerar uma necrose do fígado. E esse tempo dependerá de cada paciente, pois organismos diferentes não respondem de maneira igual a uma mesma droga. Uma droga que tenha ajudado seu amigo, talvez possa te fazer mal se você usá-la. E os médicos não sabem de tudo o que é bom para cada paciente do universo. Médicos apenas testam hipóteses, nada mais!
Então, se existem outras alternativas para se tratar a febre e a dor na dengue, por que não usá-las em vez de usar medicamentos que comprovadamente podem fazer mal?
Isso é uma questão de discernimento e bom senso!



DRA PAULA às 17:40h do dia 3/9/2013
Ao ler todos os comentários postados, fica bem claro o nível de ignorância das pessoas...
Vitor: E é de se surpreender que um médico formado na USP tenha uma cabeça tão vazia a ponto de receitar paracetamol em casos de dengue. O vírus da dengue tem tropismo pelo fígado, causando lesões. Isso é explicado pela Bioquímica. Se você nunca ouviu falar sobre a disciplina, recomendo que volte para a faculdade! Você é uma vergonha pra classe médica desse País!



LIANA MARIZE às 17:11h do dia 2/9/2013
Conheço um caso em q o paracetamol prejudicou o quadro de um paciente com dengue , o paciente sofreu sequelas e esta num quadro de muito risco .




ANA BEATRIZ às 08:57h do dia 18/6/2013
quem toma remedios para o coração e pressão arterial,isso prejudica no tratamento da doença?Obrigada.


ANTENOR às 19:04h do dia 26/5/2013
ESSE 'MITO' DE QUE PARACETAMOL MATA,JÁ FOI DESMASCARADO PELO E-FARSAS.COM, HÁ TEMPOS!
Uma rápida busca por “Dr Renan Marinho” n Google nos leva à página do próprio doutor, onde ele mesmo explica (em 2011!) que NÃO é de sua autoria o texto que circula pela web e atribuído a ele!
A notícia é FALSA!! LEIA MAIS: http://www.e-farsas.com/paracetamol-tylenol-destroi-o-figado-verdade-ou-farsa.html#ixzz2URDPlLky
Read more: http://www.e-farsas.com/paracetamol-tylenol-destroi-o-figado-verdade-ou-farsa.html#ixzz2URCtaNGK


ANDRE LUIZ MENDOÇA às 09:52h do dia 18/5/2013
Ok, mas a ultima pergunta, que é a mais importante o dr nao respondeu. Poxa, ai vc nao está prestando serviço algum meu amigo! Deixa todo mundo apavorado e sem ter pra onde correr.


PROFESSOR PADILLA às 21:11h do dia 3/5/2013
As multinacionais de medicamentos controlam a formação dos profissionais de saúde. Treinados a acreditar que a única verdade são as informações incompletas ou manipuladas que recebem em congressos, revistas e livros patrocinados pelos laboratórios, acham "normal" receitar fármacos que reduzem sintomas, sem investigar as causas da disfunção e, o pior, sem considerar os efeitos colaterais; Estes, em muitos casos, são graves, até matam. Exemplos além da dengue? Quem apresenta pressão alta recebe remédios que causam insuficiência renal e desnutrição celular, que levarão à morte.
A causa do CANCER é conhecida desde 1931 quando Otto Heinrich Warburg, 1883-1970, foi agraciado com o Prêmio Nobel de Fisiologia-Medicina ao descobrir que o câncer só se desenvolve num meio ácido. O câncer não sobrevive no meio alcalino. Contudo, essa informação não é divulgada para que o povo consuma alimentos ácidos que levarão ao desenvolvimento de câncer


JOSÉ DE ALENCAR às 14:12h do dia 24/4/2013
Depois de passado o tratamento da dengue que cuidados devemos ter com o figado , qual o tratamento recomendado.


EDSON DE SOUZA às 17:33h do dia 22/4/2013
Galera, vamos respeitar o Farmacêutico, trabalho no meio hospitalar, e convivo com médicos e farmacêuticos, todos os dois proffisionais estão qualificados para saber se o uso de tal medicamento é prejudicial, tanto que nas propagandas de medicamentos o Ministerio da Saude pedi-se que consulte um medico ou farmacêutico. O farmaceutico ele é um cientista, desenvolve medicamento.


ILLANA às 13:33h do dia 12/4/2013
minha mãe está com dengue. o médico indicou paracetamol e dipirona. Comecei a pesquisar por estar ouvindo pessoas dizerem q não pode tomar, aí fiquei sem saber como proceder...


NILCEIA SILVA às 02:53h do dia 10/4/2013
Gostaria de saber porque os Centros de Saude Públicos só fornecem paracetamol, tanto para dengue quanto para qualquer tipo de dor... coitada da população mais carente, meu Deus...


CLAUDINEI APARECIDO BENETI às 14:16h do dia 9/4/2013
Sirvo-me do complexo homeopático estudado pelo Prof Renan Marino - que libera seu uso sem nenhum ônus e não faz alarde dele - desde há 4 anos e tenho respostas positivas tanto como preventivo, quanto como curativo, para o dengue. Estudar, pelo menos um curso básico, em homeopatia, fará muito bem antes de se exprimir negativamento em uma ciência (bem estudada e sedimentada) sobre a qual não tem conhecimento


TATIANE às 00:36h do dia 5/4/2013
Realmente não entendo muito, pois não sou médica, mas andei pesquisando e vi que realmente o Dr. Marino tem total razão.
E respondendo a pergunta de Paulo, sobre o que fazer nos casos de alergia a dipiriona, médicos me informaram que pode ser ultilizado o IBUPROFENO assim como o Dr. Marino falou em sua entrevista. É muito bom pesquisarmos sempre para não cometermos erros por não ter conhecimento.


VIVI às 11:01h do dia 3/4/2013
Em altas doses o paracetamol é hepatotóxico, por isso ele e nem outro medicamento deve ser tomado sem orientação médica. Qualquer que seja o medicamento, se a dose for elevada, causará toxicidade. Em momento nenhum ele disse que devemos suspender o paracetamol seja para qual utilização form


MONICA OLIVEIRA às 20:54h do dia 2/4/2013
meu filho e meu esposo são alérgicos á dipirona o que vou fazer se um deles tiverem dengue? será que podem usar ibuprofeno? aguardo respostas, obrigada!


LETICIA NUNES às 13:27h do dia 28/3/2013
Não concordo com também, meu pai, minha irmã e minha vó tiveram dengue e tomaram, paracetamol, ibuprofeno e dipirona corretamente e isso não lhes causou mal nenhum, ao contrário, só fez melhorar.


DENUNCIANTE às 04:13h do dia 27/3/2013
YMARA, com certeza você deve ser médica ou da área. E com certeza, deve ser bem próxima de algum vendedor fármaco, talvez até mesmo do vendedor regional do paracetamol, para estar dizendo que não podemos ficar na dengue sem o paracetamol... VOCÊ SABIA QUE EM CERTOS PAISES DESENVOLVIDOS O PARACETAMOL É PROIBIDO POR LEI, COMPROVADAMENTE PELOS SEUS "DEFEITOS COLATERAIS"? Como disse o Dr., o paracetamol é uma toxina para o fígado. Isso você também DISCORDA PLENAMENTE?


YMARA às 21:46h do dia 26/3/2013
quanto ao uso indevido do paracetamol agravar os casos de dengue, eu concordo com o Dr. Renan, mas daí dizer que a dengue é uma doença benigna sem o uso do paracetamol discordo plenamente. E digo mais, acredito que médicos da mesma instituição - a FAMERP - não concordariam também com a opinião deste médico.


DENUNCIANTE às 23:02h do dia 24/3/2013
Parabéns ao Dr. Renan Marino que expõe sua imagem contra tudo e todos. Parabéns ao site, que apoia e da cobertura para as verdades. Parabéns!


DENUNCIANTE às 22:59h do dia 24/3/2013
Continuando a mostrar o meio médico, no geral, claro... Meu pai no final do cancer, uivava de tanta dor. Tomava DIMORFI (morfina), NEURONTIN... e vários outras doses para elefante... era tanta dor e chorava constantemente, de escorrer muitas lagrimas. O médico, o qual minha família confiava os procedimentos, dizia que não podia fazer nada, dava lá um remédio para dormir que não resolvia. DETALHE: ISSO NO PARTICULAR UNIMED... Resolvi questionar o médico, com o conhecimento que recebi, tinha ciência de medicamentos para induzir ao sono profundo, o qual deixa a pessoa dormindo profundamente, sem sentir nada. Somente depois de ameaçar o profissional sobre denunciá-lo no Conselho Nacional de Medina, sobre as condutas sem ética dele, é que o meu pai foi sedado e ficou livre das dores. Questionem seu médico, faça ele lhe explicar tudo. Leiam e se instruam. Não fiquem cegos diante deles!


DENUNCIANTE às 22:50h do dia 24/3/2013
Já ouvi médico que ganha comissão qdo receita medicamentos. Já ouvi que eles jamais dão paracetamol aos familiares. Não sei se é verdade, mas ouvir as mesmas afirmações de profissionais é de se estranhar. Não sou médico, se relatar tudo que já ouvi, ficariam pasmos... Perdi meu pai com cancer de prostata. Tomou TIROSEL. Ajudou, não vou negar... Cada dose era R$ 4.700,00 + ou - Um veterinário disse que usa o TIROSEL em animais e que consegue o TIROSEL de graça ou a custo inferior a R$ 1.000,00 - daí imaginem o que rola neste Brasil, dentro da saúde. Maior industria de dinheiro, a saúde... Nós, muitos leigos, somos as engrenagens desse meio quase sempre duvidoso. Fiquem de olhos abertos. Sempre duvidem e questionem!


ELEM às 10:20h do dia 18/3/2013
Carlos vc é farmacêutico e não médico, o meu médico disse a mesma coisa sobre o paracetamol e o dipirona não vem querer saber mais que os outros só pq vc é uma droga de um farmacêutico. Obrigada!!!


CARLOS às 15:07h do dia 11/3/2013
Sou farmacêutico e concordo com este argumento, pois sempre busco informações sobre Dengue e já li alguns artigos onde indicam o perigo do paracetamol no caso de dengue e em outros casos. O Médico Vitor informou que deve tomar paracetamol + ibuprofeno, isso não pode de forma alguma, pois o ibuprofeno também é um risco. A droga menos prejudicial no caso de dengue é a dipirona. Isto afirmo sem sombra de dúvida.


CARLOS às 12:23h do dia 24/2/2013
Você é um idiota... não sabe de nada seu verme macumbeiro!


PEDRO às 10:36h do dia 9/1/2013
Nunca vi uma pessoa falar tanta merda em um texto apenas. Alias,nem as merdas que esse doidao disse fazem sentido porque esse cara tem aue ter a ordem dele caçada...!!!


CLARA às 17:17h do dia 25/9/2012
Como assim? Segundo parte do comentário abaixo, o Ministério Público é que está escolhendo remédios para dengue, agora? Achei muito engraçado.

FERNANDA às 23:25h do dia 3/4/2011
Por ser um médico formado na USP, o Vitor deveria estar mais bem informado. O paracetamol (altamente hepatotóxico) não deve ser a droga de escolha do Ministério Público em caso dengue, em que o fígado está prejudicado. E


BEATRIZ às 18:36h do dia 13/4/2011
Tem alguns médicos que defendem 'ardorosamente' o uso deste veneno chamado paracetamol/tyllenol... Bom, sabemos que muitos são generosamente 'presenteados' para prescrever tais 'medicamentos'...cadê a ética médica????


NEUSA às 22:45h do dia 9/4/2011
O povo já ingere quimicos todos os dias nas comidas, bebidas etc...
Imaginem mais um: paracetamol.. que falta de respeito com a humanidade.
Eu vou de halopáticos.



FERNANDA às 20:02h do dia 7/4/2011
Olá,
Gostaria de saber porque meu comentário não foi postado.
Grata pela atençar
Fernanda


MARCOS às 01:16h do dia 4/4/2011
Por essas e por outras que temos que nos atentar que a alopatia não é o único caminho no combate às enfermidades.

Podemos recorrer à homeopatia e também à naturopatia, práticas muito menos invasivas e sem sequelas

A medicina precisa se INTEGRAR com outros métodos curativos, pesquisá-los e não taxá-los como curandeirismo.

Isso só interessa à indústria farmacêutica, que almeja apenas lucro.




FERNANDA às 23:25h do dia 3/4/2011
Por ser um médico formado na USP, o Vitor deveria estar mais bem informado. O paracetamol (altamente hepatotóxico) não deve ser a droga de escolha do Ministério Público em caso dengue, em que o fígado está prejudicado. Engana-se ao afirmar que o objetivo do Dr. MARINO é divulgar o complexo homeopático elaborado por ele. O dr. MARINO, sequer mencionou este medicamento homeopático que não interfere no efeito do analgésico alopático. A orientação dada pelo Dr. MARINO é fazer uso de analgésico, preferencialmente a dipirona ou o ibuprofeno em doses analgésicas, podendo tomar simultaneamento a homeopatia. Portanto, antes de criar polêmica e fazer afirmações inapropriadas, entenda que não é alarde nenhum informar à população sobre a forma mais segura de tratamento em caso de epidemia de dengue. Da próxima vez, informe-se mais e fale menos.


MARIA ZENISSE às 08:58h do dia 2/4/2011
A dipirona foi proibida,há muitos anos, nos EUA.
Agora foi liberada?


VITOR às 00:31h do dia 1/4/2011
Sou Médico formado na USP,

não concordo com o dr. Marinho

Para mais informações leia o blog:

verdadeparacetamol.blogspot.com

Paulo: Use paracetamol em doses baixas MAIS ibuprofeno.
Ou apenas ibuprofeno.

O Dr. marinho quer divulgar o remédio dele homeopático... por isso criou esse alarde todo...


PAULO às 00:30h do dia 29/3/2011
Concordo com toda argumentação sobre os perigos do paracetamol, mas infelizmente nem todos podem tomar dipirona , pois muitos possuem

reações alergicas à dipirona. Então fica a pergunta. Fazer o que, nestes casos? Realmente é necessario então, uma outra opçao viável,,

que nao seja o paracetamol ,nem a dipirona. Pois na dengue , a pessoa fica realmente muito necessitada de um analgésico /antitermico.









HOME - ENTREVISTA

Esta obra é licenciada sob uma licença Rio de Janeiro 2009